Resenha do livro "A Viajante do Tempo " - Outlander #1 de Diana Gabaldon


Edição: 2
Editora: Saída de Emergência Brasil
ISBN: 9788567296227
Ano: 2014
Páginas: 800
Tradutor: Geni Hirata



Sinopse
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 


E SE O SEU FUTURO FOSSE O PASSADO?

A Viajante do tempo é o primeiro livro da saga Outlander da autora Diana Gabaldon e está sendo publicada pela nossa parceira a Editora Saída de Emergência aqui no Brasil. Uma leitura fascinante, marcante, viciante e não tenho mais palavras para poder expressar o tanto que sua história me absorveu a cada página, a cada capítulo até concluir as suas 800 páginas. Confesso que é um dos melhores romances históricos que já li que misturam fantasia, magia e tantos ingredientes sendo impossível não se apaixonar por Claire Randall e Jamie Fraser - os personagens principais desta história que se passa na Escócia no século XVIII e XX.

A história é narrada por Claire uma mulher inglesa casada com Frank Randall. Com o estouro da Segunda Guerra Mundial seu marido foi convocado e ela serviu como enfermeira durante praticamente sete anos. A guerra chega ao fim em 1945 e depois desses anos afastados eles partem para uma segunda lua de mel. Seguem para Inverness, nas Highlands ao norte da Escócia. Frank é um professor de história e muito interessado em sua árvore genealógica. Visitam vários pontos turísticos onde ele pesquisa sobre seus antepassados e Claire aproveita para conhecer sobre as plantas e ervas muito utilizada para a cura de doenças. Foi assim que depararam com o ritual do círculo das pedras em um lugar chamado de Craigh na Dun.  
Depois de presenciar esses rituais misteriosos Claire resolve voltar lá e ao tocar uma das pedras é transportada para o passado. Vai parar em pleno século XVIII, precisamente no ano de 1743. Uma época onde a Escócia está entregue ao poder de clãs de guerreiros. Claire vai ter que enfrentar todos os tipos de perigos e se vê ameaçada pelos ingleses. Especialmente por Black Jack Randall - capitão do exército britânico - que com certeza é um dos antepassados de seu marido e sua semelhança com Frank a assusta.

Claire custa a perceber o que ocorrera desconhecendo as forças que a levaram ao passado para o qual está despreparada. Quase a ponto de ser sediada pelo capitão Randal ela é sequestrada por  Murtagh (padrinho e defensor de Jamie). Ele  pertence a um grupo de escoceses e a leva para seu acampamento. É quando conhece Jamie que está ferido. O fato de ser enfermeira e ter enfrentado os feridos de guerra faz com que consiga cuidar de Jamie e mostrar suas habilidades médicas. Desde que conheceu Jamie ela sente uma atração pelo jovem guerreiro escocês e cuidando de seus ferimentos fica chocada com as cicatrizes que tem em suas costas. Ele fora cruelmente açoitado pelo Black Jack Randall ao tentar defender sua irmã Jenny.  Para todos ela dá o nome de solteira , Claire Beuchamp, mas os escoceses a chamam de "Sassenach" (Outlander) "a estrangeira de origem misteriosa e com fortes conhecimentos medicinais."

É levada ao castelo Leoch onde é interrogada por Colum - Chefe dos Mackenzie e este sabendo de suas habilidades não a deixa ir embora. Ele a leva até um laboratório que está abandonado desde a morte do curandeiro. Claire então pesquisa as anotações e passa a tratar dos enfermos. Claire fora criada pelo seu tio arqueólogo o que a fez viajar por muitos lugares o que a fez ser uma mulher forte, sincera e sensível precisando constantemente ser salva.

Os Clãs escoceses viviam constantemente em lutas contra as autoridades da coroa britânica. Foi com a saída do Rei Jaime II que surgiram os movimentos jacobitas. Eles não sabem se Claire é uma aliada ou espiã dos inimigos. Em uma de suas fugas acaba caindo nas mãos de Black Jack Randall e é salva por Dougal Mackenzie. Ele por sua vez usava as cicatrizes de Jamie  para ganhar adeptos à causa jacobita.  Para evitar que ela seja levada a corte Inglesa para julgamento Dougal propõe a ela se casar com um escocês. É escolhido Jamie por quem ela sente uma atração, mas tenta resistir a esse desejo. Vendo o casamento como uma única forma de escapar das garras de Black Jack ela aceita e sabe que Jamie vai protegê-la. Só que Claire fica angustiada por está sendo adúltera, mas seu coração está dividido entre o ser fiel ao marido e se entregar ao desejo que sente por ele.

"... O que acontece entre nós, quando eu toco em você, quando você... se deita comigo? É sempre assim entre um homem e uma mulher?"

Como não se apaixonar por Jamie, um rapaz bonito, meigo, carinhoso, amigo. Um homem que teve que deixar a sua casa “Lallybroch” por estar com sua cabeça a prêmio. Tanto sofrimento para um homem cuja inocência se vê em seus atos e atitudes que surpreende o leitor em sublimes momentos.


"Um homem que nunca falara de amor, que nunca precisaria, porque eu sabia que ele me amava. Tão certo como eu sabia que estava viva. Porque onde todo o amor existe, não há necessidade de palavras. É tudo. É imortal. E se basta. "

Jamie e Claire vivem momentos únicos. Por mais que se estranhem, que Claire se revolte contra os costumes da época ela não consegue deixar de amar Jamie. A confiança, a amizade e sinceridade que tem um com o outro se fortalece a cada dia. “Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?”
Em muitas ocasiões no decorrer da história ao ver tanta tristeza com a dor da separação, das maldades do capitão Randall  contra Jamie que são piores que uma “sentença de morte” de tão cruéis. Seus últimos capítulos são penosos, sofridos sendo impossível conter as lágrimas.

"— Eu estava chorando de alegria, Sassenach — disse suavemente. Estendeu os braços devagar e segurou meu rosto entre as mãos. — E agradecendo a Deus por ter duas mãos. Por ter duas mãos para segurar você. Para acariciá-la, para amá-la. Agradecendo a Deus por ainda ser um homem completo, por você."

A autora nos traz um romance histórico carregado de intrigas, mistérios, violência, aventura, fantasia, magia, erotismo e muito mais não deixando de ressaltar o valor da amizade, da família, da fé, dos costumes e tradições. A história é narrada em primeira pessoa por Claire e apesar de ser uma leitura extensa mesmo tendo sido feita em etapas não consegui me desligar de sua trama. A viajante do Tempo é o primeiro livro de uma série de oito livros. Aguardo ansiosa para ler o segundo livro - A Libélula no Âmbar”.




A saga deu origem à série de TV, OUTLANDER que teve sua primeira temporada de agosto a setembro de 2014 com 8 episódios.  No dia 4 de abril estreou no Brasil a segunda parte da primeira temporada que vai fechar com 16 episódios.  Como não acompanhar essa série e poder ver na telinha e dá vida a sua imaginação, mas isso é assunto para post do Cine Saleta.
Assistam ao vídeo de abertura da série. 
A música é linda e não canso de ouvir.






Irene Moreira Amante da comunicação, da arte de ensinar precisa transbordar seus sentimentos, conhecer pessoas, passear por lugares diferentes. Uma forma que a completa é ler e  escrever interagindo com esse mundo virtual. Aprecia uma boa leitura, mas é apaixonada por romances e suspenses.  e-mail  #   facebook   #  twitter  #  skoob

2 comentários

  1. Oi Irene!
    Quem está lendo essa série no blog é a Rosem, mas eu sou apaixonada pelo seriado de TV, que pelo que ouvi dizer, está bem fiel ao livro. O Jamie é tudo!!!
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elis!
      Estou apaixonada também por essa série e depois da leitura não pude deixar de acompanhar a série na TV. Como disse é dá vida a nossa imaginação dessa leitura fascinante. Beijos

      Excluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...