Resenha do livro " O Lago Místico " de Kristin Hannah


Sinopse

Esposa e mãe perfeita, Annie vê o seu mundo desabar de uma hora para outra quando é abandonada pelo marido.

A fuga momentânea é para Mystic, a pequena comunidade onde ela cresceu e onde o seu pai ainda vive. Lá, Annie começa a se reerguer novamente, descobrindo o amor por si mesma, por um velho amigo solitário e por uma garotinha que acaba de perder a mãe.
Tudo está se encaixando na vida de Annie. Nick e Izzy se tornaram uma parte importante de seu processo de cura, e ela também se tornou essencial para a sobrevivência da relação entre pai e filha. Até que o seu ex-marido reaparece... e a tranquilidade rapidamente dá lugar ao desespero.
Kristin Hannah encanta mais uma vez com uma história comovente, sensível e verdadeira sobre perda, paixão e os fios frágeis que unem as famílias.



Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635811
Ano: 2014
Páginas: 368
Tradutor: Sylvio Monteiro Deutsch




"A verdadeira viagem de autodescobrimento não está em procurar novas paisagens, mas em ter novos olhos. - Marcel Proust (pág 7)


Annie Colwater é uma mulher de 39 anos, casada com Blake há 20 anos, um poderoso advogado, e mãe de Natalie. No momento que a história inicia, Annie, esposa, mãe e dona de casa perfeita, sofre pois a filha de 17 anos está indo passar 3 meses em Londres e na volta irá para a Faculdade. O que Annie não sabia é que nesse mesmo dia sua vida mudaria totalmente.

"O choque daquilo foi diferente de tudo o que ela já havia experimentado. Estava em todo lugar, espalhando-se por ela em uma onda de torpor atrás da outra. Sua voz estava presa lá dentro, e não conseguia arrumar um modo de soltá-la" (pág 19)

Foi na volta do aeroporto onde deixaram Natalie, antes mesmo de chegarem em casa, que Blake declarou que queria o divórcio, que estava apaixonado por outra e iria viver com ela. Annie vê seu mundo desmoronar e apesar de todos os apelos não conseguiu fazer Blake mudar de ideia. O que fazer agora? Sua filha e seu amor não estão mais com ela. Annie entra em desespero, podendo contar apenas com o apoio de sua amiga Terri, que já havia passado por isso e a quem Annie ajudou nessa época. Ela só queria Blake de volta.

"(...) ela olhou em volta, para a casa perfeita e vazia. 
O que fazer agora? Para onde deveria ir? Annie tocou a bússola pendurada no pescoço e percebeu a resposta. Talvez soubesse qual o tempo todo.
Ía voltar para a menina que viu naquelas raras fotos em preto e branco... de volta para onde era alguém além de esposa de Blake e mãe de Natalie." (pág 39)

Annie foi para a cidade de Mystic onde cresceu, foi para a casa de seu pai, Hank, onde encontraria um pouco de conforto. Ela e Blake combinaram de não contar nada a Natalie até que ela voltasse, e Annie passaria esses tres meses em Mystic, esperando dia após dia que Blake ligasse pedindo desculpas e a querendo de volta, pois é só nisso que pensava, que a qualquer momento tudo voltaria a ser como antes, e Hank, sempre que o assunto da separação era citado, apenas lhe dizia que Blake a amava e voltaria para ela. A depressão tomou conta e era difícil querer fazer qualquer coisa, só chorar e esperar.

"Durante anos, tinha confundido o hábito e a afeição com amor verdadeiro. Tinha assumido que o amor que dava ao marido era o reflexo do amor que ele sentia por ela, e agora, por causa de sua cegueira, estava sozinha, uma mulher com trinta e nove anos que encarava seus "anos dourados" sem uma criança em casa ou um marido na cama" (pág 194)

Na sua juventude seus melhores amigos foram Kathy e Nick e ao saber que Kathy havia morrido Annie vai visitar Nick que havia se casado com Kathy e tiveram uma filha, Izzy.  O motivo da morte da amiga a abalou muito e o que encontrou foi uma família destroçada, uma casa de cabeça para baixo semo mínimo de arrumação e alguma rotina. Nick, que era policial ,se refugiara na bebida e não conseguia ter uma relação normal com a filha de apenas 6 anos. Izzy, por sua vez, sofria a perda da mãe morta e do pai vivo, fazendo com que tivesse atitudes muito estranhas, além de não pronunciar uma palavra sequer há meses, e para completar foi expulsa da escola.

 "Lurlene me disse que você está procurando uma babá... para Isabella. Eu posso cuidar dela... durante o dia... se isso ajudar...
Ele franziu a testa. - Por que você faria isso por mim?
A pergunta a deixou triste; era cheia de desconfiança e falava de uma vida inteira de desapontamentos. - Isso me ajudaria, Nick. De verdade. Deixe-me ajudar você." (pág 91)

A partir desse ponto uma nova fase começa na vida de Annie e a parte que mais me emocionou foi a relação dela com Izzy. Annie não apenas coloca a casa em ordem, ajuda Izzy, como também ajuda Nick a voltar a ter uma vida e, prinicpalmente, resgatar sua relação com a filha. Ah, e claro, tudo isso a ajuda muito.
Mas quando tudo está entrando nos trilhos, eis que Blake aparece novamente na vida de Annie, e não só isso, a vida também lhe surpreende com algo que ela tinha como impossível. 

"Era isso, a verdade que desnudou sua alma e a deixou com nada além de um punhado de sonhos perdidos e promessas que logo seriam quebradas. 
Ela estava chorando novamente; não conseguia evitar (...) Annie não queria ser forte, não queria ser honrada, não queria fazer a coisa certa." (pág 259)

Agora para saber como tudo isso aconteceu, você tem que ler essa linda história que Kristin nos conta. Eu já havia lido Jardim de Inverno e gostado muito, tanto da história como da forma como ela escreve, mas O Lago Místico foi mais que delicioso de ler. Embora Annie seja a protagonista, Nick e Izzy se destacam muito, além de outros personagens que fazem parte da história e que não passam despercebido.

É uma história que fala de um assunto que muitos conhecemos, que muitas mulheres já viveram, a mulher que ama sozinha, a mulher que se dedica totalmente e num belo dia sem mais nem menos é trocada por outra mais nova. Na história também há outras mulheres que passam por problemas no relacionamento, mas vem de uma forma mais sutil, ligadas ao trabalho de Nick, é preciso ter atenção para perceber isso que a autora quis mostrar. Porém no que poderia estar cheio de clichês, encontramos muito amor, dor, carinho, trocas, perda e recomeço.

A capa é linda!! A história é contada na terceira pessoa, mas há partes que os personagens falam de si e seus sentimentos, o que me agradou muito da forma como foi feito. Enfim, super indico a leitura e com certeza, vou buscar outros livros da autora, pois tornou-se uma paixão assim como é Lucinda Riley :)





Livro cedido pela Editora Novo Conceito



Luci Cardinelli  Professora, atuou como profissional do mercado de capitais e atualmente é artesã. Além disso é amante da leitura e apaixonada por filmes, principalmente pelos antigos e dramas, só não assiste terror e acompanha diversas séries da TV. Ama arte, viajar e MPB.



2 comentários

  1. parece ser uma trama bem marcante eim, e eu gosto de histórias assim.
    sempre que envolvem este tipo de problemas familiares me emociona bastante ;~~

    ResponderExcluir
  2. Oi Luci, oi meninas!
    Esse livro é realmente lindo, foi minha primeira leitura da Hannah e fiquei encantada, os dramas são bastante reais e possíveis, por isso causam identificação imediata. Também quero ler mais obras da autora :)
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...