Resenha do livro "A casa dos Espíritos" de Isabel Allende - Editora Bertrand Brasil

Sinopse - A Casa dos Espíritos - Isabel Allende: Bestseller internacional considerado pela crítica um clássico da literatura latino-americana, "A Casa dos Espíritos", romance transcendental de Isabel Allende, conta a saga da turbulenta e numerosa família Trueba, do Chile, com o seu patriarca angustiado e suas mulheres clarividentes. Trata-se de uma narrativa vertiginosa que se alimenta de si mesma e parece tender ao infinito. É no seu desfecho que se alcança o efeito trágico da obra cujo limite não é o esgotamento das narrativas, mas um golpe de Estado que metamorfoseia as narrativas em sangue nas sarjetas e as palavras em silêncio. Num panorama da história chilena que vai de 1905 a 1975, desfilam personagens como Esteban Trueba, latifundiário e senador; Clara, sua mulher clarividente e Alba, sua neta, jovem, socialista e, portanto adversária do patriarca e de seus cúmplices.




Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528601664
Edição 41 / Ano: 2011
Páginas: 448

Skoob / Onde Comprar



Um momento com Clara Trueba diante do Feminismo...

Clara Trueba é o nome de uma das personagens de um dos livros mais especiais que já li na vida: "A casa dos espíritos" escrito pela brilhante Isabel Allende.

Quem me apresentou esse livro foi a Jussara através de uma resenha linda lá no Palavras Vagabundas. Depois de ler o texto da Jussara não demorou muito para que eu corresse para uma das mais marcantes experiências literárias por mim vivenciadas até o momento.

O livro da Allende é para ri, chorar, se emocionar e refletir bastante não só sobre  vida familiar e História com H maiúsculo. Até hoje eu não sei se Allende escreveu um capitulo da história do Chile usando como pano de fundo a saga da família Trueba ou se ela escreveu a saga das família Trueba usando como pano de fundo aquele capitulo da história do Chile.


Depois de tudo só me restou duas certezas: Isabel é uma contadora de histórias fantástica e suas palavras e personagens caminharão comigo até o fim dos meus dias.As personagens de Allende são daquele tipo que vem a memória quando eu menos espero e falam comigo, implicam ou me ajudam a constatar o obvio em algumas situações particulares. Loucura néh?!?! Pois é!

Por esses dias tive um desses momentos com a Clara Trueba e achei que merecia um registro.



De uns tempos para cá me tornei mais simpática do que nunca as demandas levantadas pelas feministas (da net, da rua, da faculdade e do mundo) e olhando imagens postadas nos corredores das redes sociais, conversando pelos corredores da faculdade, pelos ônibus e derivativos a Clara me veio a memória.

Ela também teve muitos encontros com as feministas do mundo e possibilidades de avaliar suas demandas, sua mãe foi uma rica senhora que apesar de ocupar uma confortável posição social, ou justamente por ocupar uma confortável posição social, era sufragista - feminista- no Chile e a levava desde pequena para suas ações nas fabricas e cortiços da cidade. Foi a impressão de Clara a respeito desses momentos que me veio a mente e eu não consigo resistir ao impulso de registrar aqui a passagem do livro tal e qual foi escrita:

"As vezes Clara acompanhava sua mãe e duas ou três de suas amigas sufragistas em visitas a fabricas, onde subiam em caixotes para arengar às operárias, enquanto, a distância prudente, os capatazes e patrões observavam, zombeteiros e agressivos. Apesar de sua pouca idade e completa ignorância das coisas do mundo, Clara percebia o absurdo da situação e descrevia em seus cadernos o contraste entre sua mãe e suas amigas, com casacos de pele e botas de camurça, falando de opressão, igualdade e direitos a um grupo triste e resignado de trabalhadoras, com toscos aventais de algodão cru e as mãos vermelhas de frieira. Da fabrica, as sufragistas se dirigiam a confeitaria da Praça das Armas para tomar chá com bolinhos e comentar os progressos da campanha, sem que essa distração frívola as afastasse nem um segundo de seus inflamados ideais.  Outras vezes sua mãe levava-a às comunidades marginais e aos cortiços, aonde chegavam com o coche carregado de alimentos e roupa que Nívea e as amigas costuravam para os pobres. Também nessas ocasiões, a menina escrevia com assombrosa intuição que as obras de caridade não eram capazes de mitigar essa monumental injustiça."


(Isabel Allende_ A casa dos espíritos_91-92)

Depois de rever essa reflexão da Clara me ocorreu que realmente a história é feita de rupturas e continuidades. As feministas cuja ação venho observando ainda são mulheres muito semelhantes as observadas por essa garota silenciosa de intuição assombrosa que saiu de algum lugar das memórias de Isabel Allende para a minha.



  Pandora
Jaci Clemente conhecida neste  mundo virtual como  Pandora. Estudante de História e  seu objeto de estudo preferido é História da Educação. É apaixonada por literatura fantastica, poesia, romances do século XIX e todo tipo de livro bem escrito, seu primeiro emprego foi com educação infantil, então também ama literatura infantil. Adora responder aos comentários feitos em suas resenhas tentando estar sempre presente .    e-mail  #   facebook   #  twitter  #  skoob
 

12 comentários

  1. Eu bem desavisada fui ler o livro pensando que era mesmo uma história sobre fantasmas, tipo 'casa assombrada', claro que não demorei muito a perceber meu equívoco, hehe.
    Apesar desta falsa impressão, eu adorei a trama e corri a assistir o filme assim que terminei a leitura.

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa eu também amei a trama!!! Foi uma das minhas melhores experiencias de leitura sem duvida nenhuma!!!

      Excluir
  2. Oi Irene, tem um filme com este nome não tem? É baseado no livro ou apenas coincidência...
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabricia, sim existe um filme com o mesmo nome do livro e foi baseado nele, mas acredite não chega nem aos pés da obra de Isabel Allende!!! O livro é muito superior ao livro!!!

      Excluir
  3. olhando pela capa e pelo título, iria pensar ser um livro de suspense haha
    só li um livro neste estilo até hoje e confesso que não gostei muito não :S

    ResponderExcluir
  4. Excelente resenha, acho que eu teria dificuldades em enxergar o livro desta forma - e por isso a leitura é um exercício tão dinâmico - talvez por estar preso a uma visão tipicamente feminina. Eu acho que li o livro no momento errado, porque demorei a entender do que se tratava - também fiquei preso, por muito tempo, ao "Espíritos" do título - mas no final gostei do que li. O que eu acho é que não entendi por completo o que a autora quis passar, eu tinha uns quinze anos só, então é mais um daqueles livros que gostaria de reler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, eu tive sorte em relação a leitura desse livro, foi a Jussara do "Palavras Vagabundas" que através de suas resenhas me apresentou ao livro e eu já era bem grandinha e bem historiadora... então estava pronta para compreender e entrar em sincronia com a autora... Eu amo esse livro, vivo com ele no meu coração e mente...

      Excluir
  5. "A Casa dos Espíritos" ... Na certa o livro mais perfeito que eu ja li!
    O meu primeiro contato com ele foi na biblioteca da minha antiga escola,me interessei muito por ele através do titulo, e que na qual ja pensei que o livro era de terror ou algo do tipo. Ao chegar em casa, resolvi ja ler o primeiro capitulo, e tinha a intenção de ler só um pouco pois tinha muita coisa pra fazer... O engraçado foi que não consegui parar de ler, e as tarefas que tinha para aquele dia foi esquecida. o que quero dizer com tudo isso, é que, esse livro me levou para uma dimensão muito, mais muito diferente da que eu vivo. A partir do momento que comecei a lê-lo, era como se eu fosse da familia, como se eu eu estivesse la, vivenciando aquela realidade.
    Na primeira vez que eu li, eu vi ele como a história de uma familia, na segunda vez ja fui enxergando com um pouco de romance, e na terceira ja consegui ver as causas politicas que se passava naquela história. A escritora sem duvida foi genial com "A Casa dos Espíritos", porque além de atrair varios tipo de publico (como os que gostam de romance, bibliografia, politica), ela conseguiu com excelência misturar todos esses gêneros em um só livro, que pra mim não haverá outro melhor.

    ResponderExcluir
  6. terminei de ler esse livro ontem adorei nele eu entrava em um mundo completamente do meu e cada pagina lida me incentivava ler cada vez mais /obgd mesmo Isabel Allende!!!

    ResponderExcluir
  7. terminei de ler esse livro ontem adorei nele eu entrava em um mundo completamente do meu e cada pagina lida me incentivava ler cada vez mais /obgd mesmo Isabel Allende!!!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...