Resenha do livro "Os Reis do Rio" de Rafael Lima - Editora Draco




O ano é 2189. Décadas após um holocausto nuclear, nada de maravilhoso restou na cidade de São Sebastião. A monocromia substituiu a exuberância natural. A insipidez, o charme das ruas. A apatia, a vivacidade dos cariocas. Mas ainda há esperança. Ao menos para William Costa. Quando seu irmão Edu é sequestrado pela Radius, organização soberana da cidade, o mulato deixa seu bairro-caverna para resgatá-lo. Em sua companhia segue Lia, namorada de Edu, e Ulysses, um tiziu implacável. Seu destino: a cidadela de Iraputã, coração da Radius. Lá, respostas que vão além do paradeiro de Edu os aguardam, revelações sobre o passado e o futuro do Rio de Janeiro e até mesmo do terrível mundo que habitam. Samba-dumps, robôs esquizofrênicos, rifles plasmáticos, harpias, caveiras, rádios clandestinas e uma batalha iminente pelas ruínas de um dos cartões-postais mais famosos de todos os tempos. Está preparado?  Então seja bem-vindo ao novo Rio.

Autor: Rafael Lima
Editora: Draco
Gênero: Literatura brasileira
Formato: 14cm x 21cm
Páginas: 304


Qualquer um que ler a sinopse deste livro pode pensar: “Mas que salada mista! Será que isso dá certo?”  Pode acreditar, dá certo sim. O livro tem diversos pontos interessantes a serem destacados. 
É um romance de ficção científica pós-apocalíptica passado no Brasil, o que é não tão comum de ler. A ambientação, um Rio de Janeiro decadente e destruído, é superinteressante, principalmente para quem é carioca, que vai conseguir identificar as referências com facilidade, mas isto não limita a obra. Pessoas de outras regiões também vão curtir, principalmente os famosos cartões postais da cidade com esta nova visão.
Por ser desenhista, a minha leitura é sempre muito visual, e sempre procuro fazer correlações a obras e filmes (e outras mídias) que já li ou vi. O Rio de Janeiro descrito por Rafael Lima é uma mistura de The Warriors (1979) e Fuga de Nova York (1981), com uma pitada de 1984 de George Orwell. 
Em meio a anarquia pós-nuclear, a cidade divide-se três grupos principais: a Radius, mistura de ordem política e seita religiosa, sediada em Iraputã, cercada e fortemente armada que “governa” a cidade, que limita seu território a poucos eleitos, mas que mantém terror sobre o restante da população; as gangues que lutam poder nos territórios que restaram; e os Libertos uma organização paramilitar que visa retirar a Radius do poder e levar a liberdade para os cariocas, que tem seu principal aliado a rádio R.R.L. (Rádio Rio Livre) que propaga suas ideias, e no meio deste fogo cruzado a população restante, sobreviventes que tentam levar sua vida comum. 
Os personagens principais William, Lia e Ulysses, vivem em uma destas áreas restantes a Grota IV (um dos locais construídos como abrigos nucleares), tendo sua vida transformada após o rapto de Edu. Na busca pelo rapaz, a vida que eles conhecem vira de ponta cabeça, e na sua viagem da Grota (Grota Funda) à Iraputã (Centro), eles vão passar por vários desafios e enfrentar, e às vezes serem auxiliados, por tipos bizarros, senão grotescos, enquanto vamos nos aprofundado mais neste mundo estranho e fascinante. Os quatro se veem presos em uma trama maior, que irá desencadear em uma grande batalha que decidirá o destino da cidade. O final surpreende o leitor e deixa uma mensagem positiva, em meio a tanta perda.
A ação é vertiginosa e a leitura da trama prende o leitor. A narrativa é muito dinâmica, senão cinematográfica, e os elementos dispostos na trama poderiam resultar em outros projetos: filme, história em quadrinhos ou jogo para videogame / computador.  

Um excelente livro para os amantes do gênero e também para aqueles que vencerem a resistência para temas deste tipo.





Avaliação 4 - Muito Bom



           

22 comentários

  1. parece ser um livro bem diferente do habitual mesmo.
    não é muito o estilo de livros que eu gosto de ler, mas não tem como dizer, depois desta resenha, que o livro não parece ser bom!

    ResponderExcluir
  2. Uma fc distópica que se passa no Brasil? Muito interessante, me atraiu, e é bom ver que autores nacionais estão investindo no gênero, que muito me agrada. Depois dessa excelente resenha, é mais um pra lista.

    ResponderExcluir
  3. Seria uma boa pedida um game baseado na obra!

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcelo!
    Distopias não me chamam a atenção, mas esse livro tem o diferencial de ser ambientado no Brasil, então talvez haja uma maior identificação ;)
    Beijos... Elis Culceag.
    www.arquivopassional.com

    ResponderExcluir
  5. Não seria um livro que me despertaria interesse. Mas gostei muito da resenha, ficou ótima. E outro ponto que gostei ser ambientado no Rio. Por esse aspecto, creio que poderia ler sim.

    ResponderExcluir
  6. As vzs achamos que certas situações inusitadas não se passariam e esta leitura prova que o impossível não existe.Boa pedida este livro!

    ResponderExcluir
  7. Fantástica a resenha, quem diria um romance de ficção cientifica ambientado no Rio de Janeiro, achei a ideia do livro muito bacana. Nos, os brasileiros estamos tao acostumando as ver historias como essas descritas apenas em livro de autores estrangeiros e em cidades estrangeiras que se torna realmente fantástica essa aventura em pleno Rio de Janeiro. Estou muito a fim de ler, que ver que fim autor deu aos pontos turísticos, como ele transformou a realidade carioca.
    Valeu pela super dica, me sinto cada vez mais feliz de ver autores brasileiros escrevendo livros como esse.

    ResponderExcluir
  8. Incrível, me parece muito interessante!

    ResponderExcluir
  9. Fiquei extremamente curioso quanto a este livro, principalmente por ser de um autor nacional. Não sou do Rio, mas existem paisagens de lá que residem no inconsciente coletivo, força da TV. Sou um dos muitos fãs do filme The Warriors (Os selvagens da noite) por isso me liguei na relação logo que você citou. Por isso tudo e por se parecer tanto com uma nova distopia, quero ler este livro também. Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  10. Percebe-se que é um livro bem diferente e eu fiquei muito curiosa. Então, vou ter que ler o livro. Gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir
  11. Ual, muito interessante.
    É bom ler livros nacionais e conhecer novos escritores!

    http://bellaletra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Gostei da resenha. Livro de autor nacional ainda mais distopia. Gostei mais ainda.

    ResponderExcluir
  13. Luciana de Queiróz14 de novembro de 2012 11:53

    Livro nacional, muito bom, apesar de não gostar de ler resenhas!

    ResponderExcluir
  14. Interessante um livro deste estilo,acho que deve ser uma boa leitura.

    ResponderExcluir
  15. Gostei da resenha me deixou ainda mais curiossa para ler esse livro que me parece ser muito bom por ser no Rio melhor ainda.

    ResponderExcluir
  16. Ficção científica é meu estilo de leitura preferido, mas ainda não tive a oportunidade de ler. \0/

    ResponderExcluir
  17. Amo histórias de ficção, tá aí um livro que eu realmente gostaria de ler!!!

    ResponderExcluir
  18. Uau, que livro fantástico. Fiquei animadíssima com a história, não imaginava que seria ficção científica, achei que era um relato sobre guerras de gangues no Rio. Fico contente que venham surgido autores brasileiros que escrevam romances assim nesse gênero.

    ResponderExcluir
  19. Adoro livros futuristas, e sabendo que o autor é brasileiro eu fico ainda mais curioso!!

    ResponderExcluir
  20. Nooooossa! Ameeeeeeeei esse livro. Que massa! Muito legal mesmo. Esse negócio de "como seria o futuro" é muito legal.

    ResponderExcluir
  21. Maravilhosoo, fiquei super animada para ler, principalmente pelo fato de ser brasileiro.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...